BRASIL
24/08/2016 14:35h


‘Cortar gastos públicos é maldade, o rombo está nos juros da dívida’, critica Luiza Maia

“Cortar gastos com serviços públicos como Educação e Saúde é mera desculpa. Sabemos que o maior rombo no orçamento é com pagamento de juros da tal ‘dívida pública’, mais de R$ 500 bilhões”.

No plenário da Assembleia Legislativa, nesta semana, a deputada Luiza Maia (PT) criticou o pacote de ajustes nas leis trabalhistas e na previdência, propostas pelo governo interino de Michel Temer.

“As maldades que Temer está aprontando nesses três meses de governo golpista e usurpador tem deixado a população amedrontada. E não é para menos! Sabemos que a agenda dele é acabar com as conquistas sociais que beneficiam o povo”, disse a parlamentar.

 

Luiza afirmou também que sua voz está em consonância com a maioria da população que, segundo pesquisas, não aprovam a continuidade de Temer no poder. “Tenho certeza que os senadores terão sensibilidade e vão votar contra o impeachment”, ponderou.


E voltou a defender a presidenta Dilma Rousseff: “Ela não se curvou aos torturadores, durante a Ditadura Militar, não vai fugir dos golpistas do Congresso”.

 

*Texto/Edição: Carlos Eduardo Reis de Freitas



BAHIA
23/08/2016 18:34h


AL-BA sediará ato de tombamento do Acervo Documental da Revolta dos Búzios

Ato de tombamento dos manifestos da Revolta dos Búzios ocorrerá no Salão Nobre da Assembleia Legislativa, dia 30 de agosto, às 16h.

O mandato da deputada Luiza Maia (PT) participou de mais uma reunião no Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), na terça-feira (23), para tratar da abertura do Processo de Tombamento do Acervo Documental da Revolta dos Búzios, que ocorreu na capital baiana entre 1798 e 1799.

 

O encontro contou com representantes do IPAC, Grupo Cultural Olodum, Fundação Pedro Calmon (FPC) e da Assembleia Legislativa da Bahia. A ideia é transformar o feito histórico em Patrimônio Cultural.

 

*Texto/Edição: Carlos Eduardo Reis de Freitas

 


CAMAÇARI
08/08/2016 17:14h


Entre vitórias e desafios: 10 anos da Lei Maria da Penha

Ocorreu um aumento de 5.000% no número de abertura de inquéritos nas Deams - apenas 29 registros em 2006, já em 2015 foram 1.532. As Deams registraram 12 mil ocorrências até junho desse ano. Ano passado foram 24 mil ocorrências...

Nestes 10 anos da Lei Maria da Penha, em vigor no Brasil, temos muito o que comemorar, mas também há lutas por vencer.

 

Este panorama mostra que as mulheres têm denunciado mais, contudo, a resposta do poder público ainda está aquém deste empoderamento. Por isso, uma das batalhas é instrumentalizar a Lei. Na Bahia, por exemplo, há um déficit de Deams e de Varas da Violência. Temos 417 municípios e somente 15 delegacias especiais de atendimento à mulher.

 

Sem a efetivação da Lei, infelizmente temos assistido a este índice alarmante de 13 mulheres assassinadas por dia, em média. Precisamos que o governo do estado, sensível à nossa luta, possa construir mais Deams. Além disso, é preciso qualificar o atendimento dos agentes que trabalham nestas delegacias.

 

Não obstante a esses desafios diários, ainda temos que combater esse governo federal golpista, que ameaça todas as nossas conquistas históricas.

 

Deputada Estadual Luiza Maia (PT)
Líder da Bancada Feminina

 

 

*Texto/Edição: Carlos Eduardo Reis de Freitas



CAMAÇARI
07/08/2016 21:54h


Luiza Maia pede união das mulheres de Camaçari contra baixaria

A deputada Luiza Maia (PT), líder da Bancada Feminina na Assembleia Legislativa, conclamou as mulheres de Camaçari para se unirem contra "a baixaria" cantada pela banda La Fúria.

A parlamentar afirmou ainda que vai cobrar do Ministério Público a averiguação, para que "esse absurdo não se instale em nossa cidade".

"Precisamos expulsar do nosso munícipio a banda La Fúria, substituta da banda de estupradores New Hit. Eles estão se apresentando no Clube Social e trazendo todo tipo de baixaria contra nós mulheres. Há denúncias, inclusive, de acesso fácil dos jovens à drogas ilícitas", disse.

"Também vamos denunciar mais uma vez o fato de uma criança de 12 anos ser vocalista da banda e cantar absurdos, depreciando o gênero feminino. Mulheres à luta!", afirmou.

 

*Texto/Edição: Carlos Eduardo Reis de Freitas