Aprovado parecer pelo arquivamento do Dia do Orgulho Hétero

A votação ocorreu na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (15), quando o colegiado acompanhou o voto da relatora, deputada Luiza Maia (PT).

“Não há nenhum sentido em buscar garantir uma suposta igualdade de direitos ao segmento dominante, menos ainda em fortalecer ideias extremistas e conservadoras, de modo que a proposição, a despeito das intenções do proponente [deputado Pastor Sargento Isidório], se configura em mais uma maneira de fomentar preconceitos e fortalecer separatismos”, afirmou a relatora.

De acordo com Luzia Maia, não há dados nem relatos sobre a existência de quaisquer tipos de ataques violentos a pessoas heterossexuais motivados pelo fato de serem héteros: “Mas contra homossexuais essa violência é diária”. Apenas o deputado Soldado Prisco se absteve da votação. 


 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*