Everaldo Anunciação: A Bahia segue em frente com o Brasil

Lí, estarrecido, um artigo publicado, semana passada, neste espaço e assinado por um delegado aposentado que, ocupando cargo de altíssimo escalão, teve o nome envolvido em episódios nebulosos que assustaram a Bahia. Um texto grosseiro, no estilo utilizado ao longo da campanha atacando sem qualquer pudor o candidato que viria a ser vitorioso nas urnas, insistindo em desconhecer as lições da democracia. A eleição de Rui Costa, na Bahia, e a expressiva votação da presidente Dilma Roussef nos estados do Norte e Nordeste provocaram manifestações preconceituosas, perigosas à democracia.

A candidata à reeleição presidencial repudiou tais manifestações, lamentavelmente vindas até de figuras como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que classificou de ignorantes os brasileiros que votaram pela continuidade dos avanços obtidos pelas políticas de desenvolvimento econômico e social do PT. Não! São cidadãos que antes viviam à margem, sem Saúde, Educação e Habitação e agora reconhecem que os direitos são atendidos.

Na Bahia, figuras menores, tentando crescer após a derrota, minimizam a grande vitória de Rui Costa e lançam insinuações que só revelam o quanto de pequenez existe nos que sonhavam em fazer a Bahia voltar aos tempos do atraso. No plano nacional, articuladores da campanha do candidato do PSDB chegaram a revelar preocupação com o fato da política econômica dos governos Lula e Dilma terem elevado “demais” o valor do salário mínimo. Não é que subiu demais, antes é que era muito baixo. Vivíamos uma época em que governantes não enxergavam o povo nem as suas necessidades.

Em 2002, em plena era FHC, o salário mínimo era R$ 200. Em 2014, R$ 724. A produtividade saltou de 0,3% para 13,2%. Em 12 anos, a partir do governo do ex-presidente Lula e depois com Dilma Roussef, 38 milhões de pessoas ascenderam à classe média, deixando para trás a linha da pobreza. Em 2000, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) estava na marca de 0,669 e atualmente logramos a felicidade de anunciar que passou para 0,730. Muito ainda há a ser feito, mas os programas em desenvolvimento sinalizam que o ideal será atingido. Enquanto antes das gestões de Lula e Dilma, no Executivo federal, e Jaques Wagner na Bahia, a mortalidade infantil estava na faixa de 25,3 em 1000 nascidos vivos o país conseguiu reduzir esta relação para 12,9 em 2012.

O povo pode não acompanhar os indicadores oficiais, mas reconhece que a vida melhorou. A taxa de desemprego saiu dos 12,2% em 2002 para 5,4% em 2013. Os direitos dos trabalhadores foram reconhecidos e ampliados, com garantia de geração de renda com mais empregos, mesmo nos períodos de instabilidade e crise internacional.

Pessoas de baixa renda, agora, podem ocupar vagas nas universidades públicas ou cursos técnicos. Em todo país o Pronatec tem 6 milhões de pessoas inscritas. O programa de custeio universitário oferecido pelo Prouni atende a 1,2 milhões de estudantes. Em doze anos o país ganhou 18 novas Universidades Federais, cinco delas na Bahia, enquanto na gestão de FHC, doutor, professor universitário, nenhuma foi criada. Os números estão ai para serem comparados. Nesse segundo turno a polarização entre Aécio e Dilma acentuará a diferença do passado de arrocho salarial, desemprego, déficit habitacional com o presente de conquistas.

Programas como o Minha Casa Minha Vida, que beneficiou 1,5 milhões de famílias e o Luz Para Todos, que levou energia elétrica para 9,5 milhões de residências mostram que o PT direciona suas ações para os que mais precisam.


Na Bahia, entre outras obras, e contrariando o mau agouro da oposição, o Porto Sul será construído e em conjunto com a Ferrovia da Integração Oeste Leste, formará um dos maiores complexos logísticos do país, desbravando toda extensão territorial da Bahia, transportando a produção agromineral com eficiência e baixo custo.

E é assim que, derrubando velhos conceitos e preconceitos, o Brasil que realmente importa cresce nos últimos 12 anos. E assim continuará, porque o povo já mostrou que não é bobo e sabe o que quer.

* Everaldo Anunciação, presidente estadual do PT

PUBLICADO PELO JORNAL A TARDE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*