Luiza é entrevistada por Zé Eduardo na itapoan FM

Desta vez, o colega de partido e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Zé Neto, foi o alvo de críticas da deputada Luiza Maia. A parlamentar, que esteve no programa Se Liga Bocão, na rádio Itapoan FM, na noite desta segunda-feira (29) reclamou da incompreensão do petista para aprovar a criação da CPI que investigará o tráfico de pessoas na Bahia.


“Eu quero que ele me responda por que ainda não foi instalada. Eu apresentei o requerimento para a instalação da CPI, o requerimento foi aprovado, o presidente da Casa já deferiu, já foi publicado no Diário Oficial do Estado, a oposição já indicou dois nomes. Nós temos seis nomes a serem indicados, já temos oito deputados que querem participar e só está dependendo agora do líder do governo a se dispor a instalar. Porque eu acho um prejuízo, é uma incompreensão dele, eu não consigo entender o que se passa na cabeça dele”.


De acordo com a deputada, o Ministério da Justiça aponta a Bahia como o terceiro estado que mais trafica pessoas no país. “Isso é coisa séria, não é porque está novela. Precisamos desarticular essa quadrilha que age no nosso estado”, completa.

 

 

Novamente, a deputada acusou o conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Paolo Marconi de perseguir seu marido Luiz Caetano, ex-prefeito de Camaçari. “Há perseguição sim, principalmente com os prefeitos do PT. Ele não sabe ser conselheiro, primeiro que é jornalista, não tem qualificação para exercer o cargo, e depois não trata o prefeito como deve ser, de orientar. Ele parte do princípio de que todo mundo é bandido e sai desaprovando as contas. Ele está errado e eu tenho o direito de criticar. Ele é perseguidor, eu digo e provo”.


Além dele, o presidente do PTN e ex-candidato à prefeitura de Camaçari, Maurício de Tude, foi criticado pela petista, depois que ele publicou em uma rede social que “lugar de chorar é no pé do Caboclo”, referindo-se à atitude da parlamentar sobre o TCM. “Ele é que tem que chorar no pé do cabloco porque perdeu a eleição. Ele nem nome tinha para disputar. Maurício abre a boca e diz o que quer. Eu respeito todas as pessoas, mas politicamente eu não o considero porque um homem que precisa usar o nome de outra pessoa para poder ter prestígio na cidade não significa nada. Ele foi secretário de Habitação da cidade e não construiu uma casa, deixou a cidade daquele jeito, não tem nenhuma moral política, não tem preparo nem maturidade.


Até o ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, passou pela língua afiada da deputada. Segundo ela, a atitude do ministro no julgamento do mensalão, às vésperas das eleições, foi um espetáculo. “Foi para prejudicar as eleições do PT, mas mesmo assim o partido foi bem votado. O PT incomoda muita gente porque ele pegou as riquezas do país e distribui para os mais pobres, então incomodou a grande mídia, como a revista Veja que saiu detonando todo mundo”.


Apesar de muitas críticas negativas, Luiza Maia deu nota 10 para a atitude da cantora Daniela Mercury em assumir seu casamento homossexual. “Eu respeito a diversidade, acho que é um direito dela, não faço críticas, mas não faço apologia ao homossexualismo. Porém dou nota 10 pela coragem dela em assumir”, disse, lembrando também da importância da Lei Antibaixaria, que proíbe ao governo baiano patrocinar bandas cujas músicas contem letras consideradas ofensivas às mulheres, como forma de, também, resguardar o dinheiro público.

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*