Pesquisadora internacional entrevista Luiza sobre golpe de 2016 no Brasil

A secretária de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Luiza Maia, concedeu entrevista para a pesquisadora Farida Jalalzai, diretora da Oklahoma State University, e sua assistente na pesquisa, a doutoranda baiana Adriana Jacob, na quarta-feira (18). A pesquisa desenvolvida nos Estados Unidos compara os esforços da presidenta Dilma Rousseff para abordar a representação das mulheres durante seu mandato, com o governo do presidente Lula e do golpista Temer.

Juntamente com o professor Pedro dos Santos, do College of Saint Benedict and Saint John’s University, em Minnesota, estão no Brasil para entrevistar ativistas, políticos, burocratas, jornalistas, acadêmicos e outros especialistas. O resultado será um livro sobre o Governo Dilma e as Relações entre Gênero e Política, publicado pela Temple University Press.

“Dilma foi vítima de um Congresso machista, reacionário e misógino. Vítima de uma mídia, em parte, ligada ao capital financeiro internacional que não aceita o modelo de governança do PT. O golpe antidemocrático que ela sofreu foi um misto desta conjuntura desigual que, até os dias atuais, apesar de vários avanços na conjuntura nacional (antes do golpe), ainda deixa a mulher sub-representada nos espaços de poder. Principalmente, na política”, destacou Luiza.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*