Agricultura familiar trouxe a paz para o campo

A candidata Dilma Rousseff declarou hoje que a existência de um clima atual de paz no campo se deve à execução de um amplo programa de estímulo à agricultura familiar, envolvendo financiamento, assentamento de famílias e assistência técnica.

“Nós construímos a paz no campo através do único jeito que é permanente: através de oportunidades para os pequenos agricultores”, disse a candidata, em entrevista a rádio Guaíba, de Porto Alegre.
Para ela, a combinação de medidas efetivas como o aumento do volume de financiamento para o segmento – de R$ 2 bilhões em 2002 para R$ 16 bilhões neste ano – e o diálogo com os movimentos sociais viabilizou o cenário atual de distribuição e geração de renda na área rural.

“A única eficácia de política social é não tratá-la como questão de polícia; é mudar as condições”, afirmou ao acrescentar, porém, que qualquer ilegalidade deve ser tratada com providências drásticas.
Dilma chegou a Porto Alegre, na tarde de ontem, onde participou, à noite, com a presença do presidente Lula, de um comício, no ginásio Gigantinho. Nesta capital, Dilma viveu parte de sua vida e assumiu cargos políticos antes de vir para Brasília.

Bolsa Família

Ela destacou que o programa Bolsa Família faz parte de um conjunto de ações responsáveis pela saída de 24 milhões de pessoas da pobreza, do campo ou da cidade. No caso da área rural, Dilma lembrou que o programa é combinado com projetos voltados para a agricultura familiar.

“Nós queremos alavancar a renda rural e permitir que se forme uma classe média no campo”, disse, lembrando que os pequenos agricultores têm acesso a crédito, assistência técnica e condições facilitadas de financiamento para a compra de máquinas e tratores.

Pleno emprego

O conjunto de programas sociais desenvolvidos pelo governo federal está permitindo, segundo Dilma, aos brasileiros viver uma situação nova: “ É impossível não perceber que hoje tem uma situação de quase pleno emprego no Brasil”. A meta do atual governo é chegar até o final deste ano com a geração de 16 milhões de empregos com carteira assinada.

É um cenário que, para a candidata, mostra a capacidade e a vontade política do atual governo e de sua candidatura em realizar mudanças. Segundo Dilma, há uma tentativa da oposição detransformar a eleição numa discussão sobre medo, a exemplo do que ocorreu em 2002.

Ela questiona: “sabe como vou responder a essa patética tentativa de transformar essa eleição numa discussão sobre o medo? Nós vamos responder com todas as realizações que fizemos como governo”.
Dilma lembrou que o país deixou para trás uma era de estagnação e está numa situação de progresso, na qual a discussão hoje é se o Brasil cresce de 6,5% a 7,5% ao ano.

Metrô

Dilma concedeu também entrevista a rádio Gaúcha, durante a qual assegurou que se eleita, vai trabalhar para concretizar a implantação do metrô de Porto Alegre, previsto no PAC 2. Além disso, segundo ela, são necessárias obras de duplicação, de forma selecionada, de rodovias importantes para escoamento da produção agricultura e industrial do estado.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*