Casos confirmados de gripe suína não são motivo para alarme, diz ministro

“Chegaram quatro casos que já foram diagnosticados e seus contatos estão sendo monitorados
“Chegaram quatro casos que já foram diagnosticados e seus contatos estão sendo monitorados”, disse o ministro.

RIO DE JANEIRO – Um dia após o anúncio de quatro casos confirmados de brasileiros infectados pelo vírus da gripe suína, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, visitou hoje (8) o Centro de Operações de Emergência para Influenza A (H1N1), no centro da cidade, criado na semana passada para monitorar as suspeitas. Segundo Temporão, a população pode ficar tranquila, pois não há risco de surto da doença no país.

Dos casos comprovados, dois são pacientes de São Paulo, um do Rio de Janeiro e um de Minas Gerais. O ministro informou que o rapaz do Rio, de 21 anos, chegou ao país infectado de uma viagem a Cancun e está internado no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, desde 5 de maio. De acordo com o ministro, ele passa bem e ficará isolado até que acabe o ciclo de contagio da doença, que é de dez dias. Temporão explicou que todas as pessoas que estiveram em contato com o paciente infectado estão sendo monitoradas e ficarão em isoladas, durante dez dias, em casa.

O secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, explicou que não vai divulgar identidade dos pacientes para não expor essas pessoas.

“A família do paciente infectado nos ligou revoltada, pois o hospital forneceu para a imprensa o endereço deles e agora eles estão se sentindo, na vizinhança, como se fossem doentes perigosos que precisam ser isolados. Isso é tudo o que não queremos, pois precisamos que a população entenda que tem notificar possíveis novos casos e não se calar com medo de sofrer preconceito.”

Não há evidência de circulação do vírus no Brasil, uma vez que não há nenhum caso confirmado de pessoas que tivessem contraído a doença no país. No momento, o estado do Rio tem mais três casos suspeitos. Quem viajou para o exterior ou esteve em contato com alguém que veio de outros países e apresenta febre repentina de mais de 38 graus Celsius deve procurar um hospital.

Flávia Villela

Repórter da Agência Brasil

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*