Construção de submarinos é questão estratégica para soberania

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (18), no programa semanal de rádio, Café com a Presidenta, que a construção de submarinos nacionais é uma questão estratégica e de garantia de soberania para o país. No último sábado (16), Dilma participou da cerimônia que inaugurou a fabricação brasileira de submarinos, com tecnologia francesa.
O Brasil vai construir quatro submarinos, o primeiro deve ficar pronto em 2016.

– O Brasil passa a fazer parte do pequeno grupo de países que tem conhecimento e tecnologia para construir submarinos. A capacidade de produzir submarinos é fator estratégico, tanto para a defesa do país quanto para o crescimento econômico.

Dilma lembrou que o acordo, assinando com a França em 2008, prevê a transferência de tecnologia para que a indústria nacional tenha condições de continuar construindo e desenvolvendo submarinos no Brasil. O próximo passo, segundo a presidente, será a fabricação de um submarino movido a energia nuclear.

Além de questões estratégicas e de defesa, Dilma avalia que a construção de submarinos nacionais terá um papel econômico considerável. O governo prevê a criação de 9.000 empregos diretos e 27 mil indiretos nas obras de construção do estaleiro e da base naval para os equipamentos.

– E na fase de construção dos submarinos, a previsão é que sejam criados em torno de 2.000 empregos diretos e 8.000 empregos indiretos permanentes. Cada submarino a ser fabricado no Brasil vai contar com mais de 36 mil itens, produzidos por 30 empresas brasileiras.

O acordo entre Brasil e França prevê investimentos de R$ 6,7 bilhões. Os quatro primeiros submarinos serão construídos pela Itaguaí Construções Navais, empresa criada em parceria entre a construtora Odebrecht e a francesa DCNS (Direction des Construtions Navales et Services), com a participação da Marinha do Brasil.


R7

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*