CPI do Tráfico de Pessoas ouve acusada de adoção ilegal

Durante encontro com promotores de Justiça do estado da Bahia, o presidente da CPI do Tráfico de Pessoas da Câmara, deputado Arnaldo Jordy (PPS/PA), afirmou que a comissão vai propor uma série de ajustes e mudanças na legislação atual para coibir e dificultar o tráfico humano no país.  

O encontro aconteceu no Ministério Público baiano, na manhã desta quinta-feira (21). A reunião, que antecede uma audiência pública a ser realizada também no auditório da instituição, serviu para a CPI trocar informações com promotores que atuam na investigação do caso das adoções irregulares de crianças registradas no município de Monte Santo.

A Presidente da Comissão dos Direitos da Mulher, Deputada Luiza Maia, contribuiu com a discussão apresentando outros casos de adoção ilegal que aconteceram na Bahia. “Vamos lutar para que uma CPI seja instalada aqui no nosso Estado. Já falei com o presidente Marcelo Nilo e ele deu total apoio”, diz Luiza. Depois da reunião, a deputada acompanhou a audiência pública promovida pelos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito, que ouviu o depoimento da empresária Carmen Topschall, acusada de intermediar a transferência de cinco crianças de Monte Santo para o sudeste do país sem a autorização de suas famílias.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*