Dilma convoca a militância para a campanha

Na região central de Brasília, a candidata Dilma Rousseff abriuontem (13) oficialmente o comitê central da coligação “Para o Brasil seguir mudando”. No começo da noite de terça-feira, um grupo expressivo de militantes, ministros do governo e políticos aliados esteve no local onde foi instalado um palanque, à frente do edifício Vitória, para a candidata convocar a militância.

“Aqui, nesse comitê, os partidos terão vez, mas quem também terá vez é esse povo aguerrido, que vai trabalhar para que nós não voltemos para trás”, disse Dilma, para a plateia que se aglomerou no meio da rua e nas calçadas. “Vamos juntos com a força do povo. Com a nossa força e todos juntos. Podem contar comigo. Eu vou contar com todos vocês.”

A abertura do comitê teve a presença do presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra; do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP); do ex-governador do Piauí e candidato ao Senado, Wellington Dias; o governador de Goiás, Alcides Rodrigues; além de diversos aliados dos partidos da coligação (PT, PMDB, PCdoB, PDT, PRB, PSB, PR, PSC, PTC e PTN).

O candidato a vice-presidente, o deputado Michel Temer (PMDB-SP), afirmou que o público de Brasília era um dos mais animados que já tinha visto e que se orgulha de estar ao lado de Dilma nessa caminhada, assim como as mulheres do Brasil.

Mulher presidente

“O que eu quero dizer a todos é que eu tenho um orgulho extraordinário de partilhar essa campanha com a candidata Dilma Rousseff. As brasileiras estão animadas ao saber que uma mulher será presidente do Brasil”, afirmou Temer.

Segundo a candidata do governo, o país está preparado para ter uma mulher na Presidência da República. Ela disse se sente como uma mãe que cuidará dos brasileiros e avançará com a obra do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Na minha infância eu quis ser bailarina, trapezista ou do corpo de bombeiros. Essa era a situação da minha geração, pois elas não podiam querer e ser presidentes”, disse. “A partir da minha eleição, as meninas poderão ter os mesmos sonhos dos meninos. Elas poderão sonhar em ser Presidentes da República.”

Dilma acrescentou: “O presidente Lula me confiou essa missão, me deu talvez a maior herança que ele pode dar a alguém, ele deu a missão de cuidar do povo que ele tanto ama, e vocês podem ter certeza que eu vou cuidar desse povo com toda responsabilidade. E nós vamos seguir em frente mudando o Brasil”.

Pulso firme e sensibilidade

Emocionada com a chance de eleger Dilma, a aposentada Maria do Carmo Pereira da Silva acredita que a candidatura dela concretiza parte de um sonho compartilhado por milhares de mulheres que dedicaram suas vidas em defesa dos direitos da população feminina. "Eu esperei a minha vida inteira para ver uma mulher chegar na Presidência do Brasil e é por isso que vou às ruas, converso com as pessoas e faço campanha", afirmou ela ao Participabr, o site de mobilização da campanha.

A dose certa de "pulso firme e de sensibilidade" é, na opinião do militante Geraldo Magela, uma das características que farão de Dilma uma excelente governante. "Quem administra as casas do povo brasileiro? É a mulher, com sua sensibilidade, autoridade e capacidade de fazer milhares de coisas ao mesmo tempo, que lidera as famílias. A gente precisa, sim, de uma mulher no comando do Brasil".

Na avaliação da assistente social Ester Dantas, no entanto, o fato de Dilma ser mulher não deve ser elevado ao primeiro plano. "O mais importante é o projeto que ela representa um projeto que foi iniciado pelo Governo Lula e que terá Dilma como sucessora para avançar ainda mais", defende.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*