Dilma: “Não haverá cortes no PAC e economia brasileira continuará crescendo”

A presidente Dilma Rousseff declarou, nesta quinta-feira (27), durante o anúncio da doação de seis mil moradias pelo programa Minha Casa, Minha Vida para os desabrigados da região serrana do Rio de Janeiro, que o governo manterá o controle da inflação e que o país continuará crescendo.

"Não negociaremos com a inflação e vamos manter a economia crescendo sistematicamente", enfatizou.

Ela afirmou também que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não sofrerá cortes ou interrupção de verbas para que o governo federal atinja a meta de superávit primário.

"Nós não vamos, nós não vamos, vou repetir três vezes, nós não vamos contingenciar o PAC. Nós não vamos contingenciar o PAC", disse Dilma,referindo-se a um termo técnico usado para tratar de bloqueio de recursos.

DESIGUALDADES

Tema recorrente nos discursos da presidente, a redução da desigualdade voltou a ser abordada por ela. "Um país só é, de fato, rico, se formos capazes de reduzir a desigualdade regional e a desigualdade social. Essa redução é uma combinação entre uma taxa determinada de crescimento econômico e políticas de governo", explicou.

No evento, em um breve discurso, Dilma afirmou que tragédias como a do Rio de Janeiro, não podem voltar a acontecer. "Não podemos deixar que se repitam catástrofes dessa dimensão. Nós todos temos, hoje, ainda mais, conhecimento do que é necessário fazer para evitar isso".

À noite, em Porto Alegre (RS), durante cerimônia alusiva ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, Dilma classificou o genocídio nazista como "uma das mais lamentáveis violências do homem contra o homem na história da Humanidade". Segundo a presidente, "o holocausto abriu no mundo uma determinada prática de trato do opositor político que consiste, em calá-lo, mas não apenas silenciá-lo ou derrotá-lo em uma guerra, trata-se de reduzi-lo, através da tortura, da dor e da morte lenta, como aquela praticada nos campos de concentração".

 

Site: PT na Câmara

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*