Dilma pede mais debate de propostas e menos acusações

A candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, pediu aos demais candidatos à Presidência da República que respeitem o povo brasileiro, como ela respeita, e façam o debate eleitoral baseado em propostas. Ela participou hoje de uma caminhada pelas ruas do centro de Uberlândia (MG) e tomou café no tradicional Real Café, acompanhada dos candidatos ao governo e ao Senado em Minas Gerais.

Dilma disse ainda que não “imaginava” que os candidatos de oposição apelassem para declarações de baixo nível na campanha eleitoral quando enfrentassem adversidades. Segundo ela, o Brasil exige dos postulantes à presidência um debate de alto nível e baseado em propostas para o país.

Questionada sobre as declarações do candidato tucano, José Serra, e de seu vice, Índio da Costa (DEM), ligando o Partido dos Trabalhadores ao narcotráfico e às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Dilma pediu mais consideração com os eleitores. Leia aqui para saber mais.

“Da minha parte eu quero dizer que eu não descerei a esse nível e não haverá ninguém capaz de me fazer descer a esse nível. Portanto, eu não concordo em continuar esse tipo de polêmica. Não são as questões que o povo brasileiro merece escutar, ouvir, discutir e ter seus candidatos apresentando para ele. É em respeito ao povo que eu acho inadmissível isso”, disse a candidata.

“Jamais imaginei que diante a adversidade meu adversário recorresse a certas atitudes que eu considero que não honram uma campanha eleitoral num país como o Brasil. Acho que o Brasil exige de nós qualidade nesse debate eleitoral, exige apresentação de propostas e debate de alto nível”, comentou.

Ações na Justiça

Ontem, o PT ingressou com ações judiciais contra o deputado Índio da Costa e contra o PSDB. No Supremo Tribunal Federal (STF), o partido processou criminalmente o parlamentar por calúnia e difamação. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PT pediu direito de resposta no site do PSDB por conta das declarações do vice de Serra. Hoje, o PT deve ingressar ainda com uma ação civil na justiça comum contra Costa e talvez contra o PSDB por danos morais.

“Temos dito que não queremos judicializar a eleição e que queremos um debate sobre propostas e de alto nível para os eleitores", assinalou o presidente do PT, Jose Eduardo Dutra. "Mas não vamos nos furtar de recorrer judicialmente quando formos ofendidos por qualquer membro da oposição. As declarações do candidato a vice são inaceitáveis e mentirosas."

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*