Documento será enviado ao STJ solicitando nova prisão de integrantes da New Hit

A decisão, que atinge diretamente os integrantes da Banda New Hit que abusaram sexualmente de duas menores na cidade de Rui Barbosa, foi tomada na manhã desta quarta-feira (12/12), na Assembleia Legislativa (AL), em audiência pública promovida pela Comissão de Direitos da Mulher da Casa em parceria com a Secretaria Estadual de Política para as Mulheres (SPM) e o Núcleo Negra Zeferina da Marcha Mundial de Mulheres.

A atividade definiu ainda outros encaminhamentos. Segundo a autora da Lei Antibaixaria, serão feitas vigílias em frente ao TJ-BA para cobrar a antecipação do julgamento dos músicos. “O julgamento está marcado para o final de fevereiro, depois do Carnaval. Isso significa que eles poderão cantar normalmente na maior festa popular que temos. Não vamos permitir”, destacou.

A petista também vai pedir uma audiência com a desembargadora Nágila Brito, da coordenadoria da Mulher TJ-BA. “O objetivo é sensibilizar a magistrada é ganhá-la para a nossa causa”, revelou.

Presenças – O evento reuniu um público seleto. A promotora de Justiça Sara Gama, do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público; a secretária Lúcia Barbosa, titular da SPM; o coordenador executivo do Cedeca, Valdemar Oliveira;  o presidente do Conselho Estadual do Direito da Criança e do Adolescente, Normando Batista Santos; a vereadora soteropolitana Marta Rodrigues (PT) e a delegada Heleneci Souza foram algumas das autoridades que prestigiaram a audiência. Os mandatos da senadora Lídice da Mata (PSB), da vereadora Aladilce (PT) e da edil eleita Fabíola Mansur (PSB) mandaram representantes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*