Em quatro meses, 478 municípios aderem ao processo de filiação informatizada do PT

FOTO: Arquivo
FOTO: Arquivo

Após quatro meses de implantação, o Sisfil – sistema informatizado de filiações do PT – já conta com a adesão de 478 Diretórios Municipais, o que equivale a 10% do total.

Coordenado pela Sorg (Secretaria Nacional de Organização), o Sisfil continua aberto a adesões. Ele e faz parte da Rede PT Brasil – conjunto de sistemas que integram os procedimentos internos e que estão sendo colocados à disposição de dirigentes e filiados petistas de todo o país, via internet.

O total de adesões até aqui está dentro das expectativas do partido, segundo Paulo Frateschi, secretário nacional de Organização. “Estamos crescendo num ritmo bom. Não podemos atropelar o processo. O pessoal primeiro tem que fazer o treinamento e entender a importância do novo sistema”, disse Frateschi, referindo-se aos seminários regionais sobre o SisFil promovidos pela Sorg.

Ele lembra que o sistema garante mais agilidade, controle e transparência. “O Sisfil é fundamental para um partido que hoje tem mais de 1 milhão e 300 mil filiados. Estamos na era da tecnologia da informação. Acabou aquele negócio de ficha em caixa de sapato. Com o SisFil, qualquer companheiro pode acompanhar o processo de filiação. É muito mais democrático e muito menos burocrático”, disse.

Vantagens

O Sisfil tem muitas vantagens sobre os procedimentos manuais. Nestes, os pedidos de filiação são feitos diretamente aos DMs, que encaminham as fichas abonadas, via Correios, para o Diretório Nacional, que faz a digitalização do documento e envia a carteirinha para o novo filiado.

Além de demorado, esse processo dificulta a implantação de mecanismos eficientes de controle e transparência.

Com o novo sistema, qualquer filiado ou dirigente pode apresentar, via internet, pedidos de filiação aos diretórios municipais. Pode também acompanhar o andamento destes pedidos e saber exatamente quantas e quem são as pessoas filiadas ao partido na cidade, no Estado e no país.

Já as secretarias de organização (estaduais e nacional) ganham ferramentas de gestão que permitem a contínua supervisão do sistema, de forma a identificar desvios ou excessos.

A adesão ao Sisfil não é obrigatória, mas há um esforço das direções nacional e estaduais para que todos os municípios entrem no sistema.

Adesão e Responsabilidade

A partir daí deverá assinar um Termo de Adesão onde se comprometerá a manter arquivados os documentos comprobatórios das operações feitas, processar no devido tempo os pedidos de filiação e transferência recebidos e submeter-se à auditoria periódica ou eventual. As primeira auditorias devem começar em julho.

O diretório deverá ainda indicar em reunião (com ata) um dirigente para operar o SisFil, que assinará um Termo de Responsabilidade e receberá a senha de acesso.

O Sisfil permite que os Diretórios Municipais e Zonais gerenciem diretamente seu Cadastro de Filiados, podendo inscrever novos filiados, atualizar dados, cancelar e transferir filiações, entre várias outras funcionalidades.

Estatísticas

Percentualmente, Rondônia é o Estado com maior índice de adesão ao SisFil (57,7% dos municípios), seguido por Distrito Federal (52,9%) e Amazonas (41%). Em números absolutos, o Paraná tem a liderança, com 70 municípios já implantados. São Paulo vem em 2º lugar, com 51, e o Rio Grande do Sul fica em 3º, com 39.

Diretório Nacional do PT

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*