Faturamento da indústria no Brasil é o maior da história

Nunca a indústria brasileira teve um faturamento real tão elevado na história. Segundo a série histórica apresentada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), o indicador atingiu 120,3 pontos em setembro, com ajuste sazonal, superando o índice de março deste ano, de 119,6 pontos, recorde histórico até então.

Os números demonstram a vitalidade do crescimento da indústria brasileira em 2010, que já superou os efeitos da crise e não mais encontra-se em recuperação, mas em crescimento. Em relação ao índice pré-crise, o avanço é de 5,9%.

No terceiro trimestre, o faturamento cresceu 3,9% ante o trimestre anterior e, mesmo em caso de não apresentar mais ganhos nos meses seguintes, a indústria já garantiu uma alta de 9,3% em 2010 na comparação com o ano anterior.

Outro indicador que vem apresentando crescimento contínuo no ano é o emprego na indústria, que já supera em 2% o índice pré-crise. Também levando-se em conta a série histórica com ajuste sazonal, no qual o índice atingiu 111,5 pontos, o resultado é recorde.

Setembro

Na comparação de setembro com agosto, o faturamento –já deflacionado– cresceu 1,9%, descontando a influência dos fatores sazonais. Sem os ajustes, o crescimento foi de 2,9%.

Já no confronto com setembro do ano passado, o crescimento do faturamento real foi de 10%. No acumulado do ano até setembro, ante mesmo período de 2009, a alta no indicador foi de 11,3%, sinal de fôlego da atividade industrial, mas também da base fraca de comparação no ano passado.

A Utilização da Capacidade Instalada teve leve recuo ante agosto. Em setembro, a UCI foi de 81,9%, ante 82,2% no mês anterior. Em setembro de 2009, o resultado havia sido de 80,5%. Sem o ajuste sazonal, a UCI de setembro foi de 83,1%, ante 83,4% em agosto e 81,7% no mesmo mês do ano passado.

As horas trabalhadas recuaram 0,4% ante agosto, com ajuste sazonal, mas cresceram 7,4% na comparação com setembro do ano passado. No acumulado do ano, a alta é de 8%. Já no quesito emprego, houve avanço de 0,5% ante agosto e ganho de 7,1% na comparação com setembro de 2009. No ano, o emprego acumula ganhos de 5,3%.

A masa salarial real apresentou avanço de 1,1% na comparação com agosto, e ganhos de 6,8% ante setembro do ano passado. No ano, acumula alta de 6,1%. Já o rendimento médio real cresceu 0,5% em relação a agosto mas caiu 0,3% se comparado a setembro do ano passado. Nos primeiros nove meses de 2010, o rendimento médio real acumula alta de 0,7%.

Folha Online.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*