Fim da violência contra mulher e reforma política voltam a ser defendidos por Luiza Maia

“Temos que arranjar um meio de interromper esse ciclo, de desnaturalizar essa questão: não é normal, não é natural agredir as mulheres”, enfatizou a deputada, acrescentando que a violência física não aflige apenas a vítima, mas toda família.

Luiza abordou a importância, também, da reforma política. A deputada que se consagrou com a lei Antibaixaria foi taxativa sobre a importância de levar o debate para a sociedade.

“Não somos nem 10% nos espaços de poder. A política ainda é um espaço de macho, rico e branco, nós vamos para as ruas lutar pela reforma política, como foi com a lei da Ficha Limpa, ou o nosso querido Congresso vai continuar ainda por muito tempo sendo dominado por homens.Mas nós vamos mudar isso”. expôs.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Fim da violência contra mulher e reforma política voltam a ser defendidos por Luiza Maia

“Temos que arranjar um meio de interromper esse ciclo, de desnaturalizar essa questão: não é normal, não é natural agredir as mulheres”, enfatizou a deputada, acrescentando que a violência física não aflige apenas a vítima, mas toda família.

Luiza abordou a importância, também, da reforma política. A deputada que se consagrou com a lei Antibaixaria foi taxativa sobre a importância de levar o debate para a sociedade.

“Não somos nem 10% nos espaços de poder. A política ainda é um espaço de macho, rico e branco, nós vamos para as ruas lutar pela reforma política, como foi com a lei da Ficha Limpa, ou o nosso querido Congresso vai continuar ainda por muito tempo sendo dominado por homens.Mas nós vamos mudar isso”. expôs.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*