‘Lei Antibaixaria’ é aprovada na Câmara de Fortaleza

De acordo com o autor do projeto de lei, "essa [lei] é mais uma ferramenta que a sociedade vai ter para condenar o racismo, a homofobia e a violência contra a mulher. O dinheiro público não pode continuar sendo usado para a promoção de músicas que estimulem essas práticas”. Para entrar em vigor, a lei precisa ser sancionada pela prefeita Luizianne Lins e publicada no Diário Oficial do Município.

Segundo Ronivaldo Maia, caberá às Coordenadorias de Mulheres, Diversidade Sexual e Igualdade Racial de Fortaleza fazerem um levantamento anual das músicas que, de alguma forma, atentem contra a dignidade e os direitos humanos das mulheres, negros e negras, e homossexuais. “Não é censura, pois esses artistas continuarão gravando suas músicas e fazendo seus shows privados. Agora, não podemos permitir que o dinheiro público sirva para fomentar o preconceito”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*