Luiza vê racismo em nome de operação Quilombo

“Não é tolerável que o aparato policial, a serviço da proteção das pessoas e da ordem pública, se manifesta de forma preconceituosa. A palavra quilombo implica no reconhecimento da legitimidade civilizatória e democratização da presença africana e afrodescendente no Brasil, jamais pode ser associada a crime.”, explicou a petista durante discurso no plenário da Assembleia nesta terça-feira 9.

Luiza tentou falar com Secretário de Segurança Pública para esclarecer a origem do nome da operação. “ Minha assessoria entrou em contato com os órgãos responsáveis pela ação e ninguém soube informar quem deu o nome. O secretário precisa rever essa denominação porque ela evidencia conteúdo racista. Os quilombolas precisam ser fortalecidos e respeitados.
 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*