Maioria no Congresso dará estabilidade ao governo de Dilma, afirma Padilha

A presidente eleita, Dilma Rousseff, tem o seu tempo para compor uma equipe tecnica e politicamente competente e, apesar de o novo governo ser de continuidade, não há razões para que se mantenham as mesmas pessoas, afirmou o ministro da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, na sexta-feira (12), no programa Bom Dia, Ministro.

"Ela vai compor o seu governo com a sua cara, com o seu perfil, respeitando o tamanho dos partidos políticos que a apoiaram, respeitando o perfil, a história, a capacidade política e técnica de cada ministro… A única senha que ela deu é que ela quer mais mulheres compondo o ministério", afirmou Padilha.

O ministro disse que o novo governo encontrará um cenário político favorável, com uma grande coligação política. Segundo ele, “todas as democracias do mundo se fortalecem quando o presidente que ganha as eleições conquista a maioria na Câmara e no Senado”. Na opinião do ministro, ter a maioria no Congresso ajuda a dar estabilidade para o governo, a fazer com que os projetos andem mais rápido e a reforçar a parceria com os governos estaduais e os governos municipais.

"Foi a maior coligação política que uma candidatura nossa já teve, superou, inclusive, a coligação do presidente Lula… Mas, passadas as eleições, o que importa é que as políticas públicas e os interesses da população sejam atendidos, independente de quem venha a ser o governador ou de quem venha ser o prefeito. A partir de agora reina o clima do diálogo", enfatizou.

O ministro Padilha também falou no programa sobre a questão do reajuste do salário mínimo, defendendo uma política permanente de valorização, mas o valor deve sempre respeitar a capacidade de pagamento da União, estados e municípios. Segundo ele, o governo aceita negociar, mas uma definição será tomada pelo presidente Lula juntamente com a presidente eleita Dilma Rousseff.

Padilha reafirmou sua confiança na aprovação do Orçamento de 2011 ainda este ano, destacando ser esta a grande prioridade do governo na agenda legislativa desse final de ano. Outro tema importante, segundo ele, é a conclusão do projeto que regulamenta a exploração do petróleo na camada do Pré-sal.

 

Folha Online.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*