Maria da Penha: Suspensão de penas de violência contra mulheres é retrocesso

A farmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes, que dá nome à Lei Maria da Penha, disse nesta quarta-feira (19), que considera um retrocesso a decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) de suspender alguns casos envolvendo a lei.

Com a decisão tomada em dezembro e só divulgada na última terça-feira (18), o agressor pode ter a pena suspensa em período de dois a quatro anos.

"Sempre tem alguém querendo passar a mão na cabeça do agressor", disse a biofarmacêutica que defendeu a causa contra violência doméstica até que a lei fosse sancionada pelo então presidente Lula. "Nós já temos o estatuto da criança, do idoso, mas sempre quando se trata da defesa à mulher, alguém defende quem faz o crime", completou.

Questionada sobre as causas da suposta proteção do Supremo aos agressores, Maria da Penha acredita que seja a raiz machista na cultura do poder judiciário.

 

Rede Brasil Atual

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*