ONU dá inicio a projeto de segurança cidadã em Lauro de Freitas

Teve início nesta segunda-feira (25) o curso Convivência e Segurança Cidadã, oferecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) aos moradores de Itinga e autoridades de Lauro de Freitas, na Unime. Com larga experiência em segurança e projetos de sucesso implantados em países como Peru, Venezuela, Honduras e Colômbia, o sociólogo colombiano Hugo Acero Velásquez, destacou que segurança não é uma questão que diz respeito apenas “à polícia e a juizes”. “Se equivocam os que pensam que o problema da violência se acaba com o fim da pobreza”, afirmou na palestra de abertura.

As experiências apresentadas pelo sociólogo, responsáveis pela diminuição da violência em até 75% em algumas cidades, baseia-se na reestruturação urbana, na geração de oportunidades, melhoria dos serviços públicos e aprimoramento das polícias. A nova concepção de segurança parte do pressuposto de que a mudança só é possível com o envolvimento conjunto da sociedade e das instituições públicas. Ao final da palestra, houve a apresentação do grupo de capoeira do Mestre Sérgio, de Itinga.

O curso faz parte do projeto Segurança Cidadã: prevenindo a violência e fortalecendo a cidadania com foco em crianças, adolescentes e jovens em condições vulneráveis em comunidades brasileiras. Lauro de Freitas, Vitória (ES) e Contagem (MG) são os três municípios brasileiros contemplados pelo projeto, financiado pelo governo espanhol e executado pela ONU. Ao todo, serão investidos 6 milhões de dólares nas três cidades.

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, também participou da abertura e parabenizou os participantes. “Não há política que se desenvolva partindo do poder público se não houver ressonância nas comunidades. Cada jovem que entra para o tráfico, cada mulher agredida é um problema nosso. Precisamos nos sentir responsáveis pelo combate a violência” – destacou a prefeita. A assessora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Érica Machado, salientou a necessidade do envolvimento da comunidade com as ações da ONU. Para ela, o curso representa uma “mudança de atitude nos participantes”.  Além do PNUD, outras cinco agências da ONU que estarão integradas no projeto em Itinga – OIT, UNODOC, UNICEF, UNESCO, ONU-HABITAT.

Fizeram parte da abertura do curso o representante da Agência de Cooperação Espanhola, financiadora do projeto, Alejandro Muñoz, representantes da ONU e da Administração pública municipal, que destacou a parceria da prefeitura e da comunidade de Itinga no processo. O fundo espanhol que financia o projeto atua com 129 programas espalhados por 50 países. Nesta terça-feira (26), o sociólogo Hugo Acero fará uma palestra às 8h, na Unime, para servidores do município sobre política de segurança pública. Logo após, o pesquisador Róbson Sávio fala de Gestão Local da Segurança Pública, e o sociólogo e secretário-geral do Fórum Brasileiro de Segurança Pública Renato Lima, aborda Segurança Cidadã, Governabilidade e Desenvolvimento Humano.

Fonte: Departamento de Comunicação – DECOM

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*