Orçamento Participativo é marca de administrações petistas no Paraná


Em dezembro de 2008, o diretório do Partido dos Trabalhadores do Paraná elaborou o seu planejamento estratégico. Entre as decisões para ações, foi encaminhado que as administrações petistas no estado implementassem as marcas históricas do PT, que são Educação e Participação Popular. “As áreas foram escolhidas devido aos acúmulos do PT em suas gestões por fazerem parte do programa partidário. O Orçamento Participativo ganhou o mundo como política pública e tem se revelado como uma importante marca e consolidação da participação popular nas gestões”, explica Rose Zanardo, secretária de formação política do PT/PR.

Orçamento Participativo é um instrumento de participação popular, que busca um formato que amplie e aprimore o debate entre a população e os governos municipais. A experiência do orçamento participativo mostrou sucesso na administração petista de Porto Alegre (RS).

A implantação do Orçamento Participativo (OP) começa no planejamento da equipe da prefeitura, em seguida é feita a divisão dos setores, e iniciam-se as rodadas de discussão das prioridades de ações para o município. Ao final, as decisões encaminhadas pelo OP são transformadas em instrumentos de planejamento e orientam as questões orçamentárias.

Santa Mônica

Em Santa Mônica, o OP já está na fase de implantação. Segundo o prefeito Antonio Carlos Mileski (PT), trazer a população a realidade de receita do orçamento municipal, mostrar despesas e gastos é a via de mão dupla que o OP proporciona. “Temos dificuldade como município pequeno, a população não tinha participação, a política era outra. Entendo que esse é o caminho, que vai possibilitar enfrentar os desafios junto com a comunidade”, afirma o prefeito.

Jacarezinho

Nesta terça-feira (26), vai acontecer a primeira reunião do Orçamento participativo em Jacarezinho. O município foi dividido em 20 setores, sendo que 15 representam a zona urbana e cinco a rural. “Queremos chegar mais perto da população, para que entendam o funcionamento do orçamento municipal”, salienta a prefeita Tina Tonetti (PT).

Cruzeiro do Sul

O município de Cruzeiro do Sul está na terceira reunião da primeira rodada. A cidade ficou dividida em seis setores. “É uma novidade no município, com 53 anos de emancipação, a população não tinha participado desta forma. Para nós da administração é importante pelo contato com a população, ouvir os argumentos, e adequarmos as ações com as necessidades do município”, explica Ailton Buso (PT), prefeito de Cruzeiro do Sul.

Pinhais

“Buscamos reunir o maior número de pessoas possível para discutir os problemas de Pinhais. Facilitar a participação da comunidade no que diz respeito à construção de uma cidade melhor para todos é a principal marca desta administração”, afirma o prefeito Luizão Goulart (PT). Implantado no início do mandato, o OP em Pinhais já passou pela etapa de apresentação e agora as ações já são planejadas com o direcionamento discutido nas reuniões.

Vera Cruz do Oeste

O município está no oitavo ano de administração petista e com o OP em funcionamento. Implantado no mandato do ex-prefeito Marcos Pescador (PT), o atual prefeito Eldon Anschau (PT) deu continuidade ao projeto. “Hoje a comunidade participa, entendem quais são os seus direitos e assumem os seus deveres, pois discutem o orçamento e fiscalizam as ações. Também o OP traz as necessidades de baixo para cima, não direcionamos as demandas de determinado local, escutamos o que realmente a comunidade precisa, esse é o nosso diferencial”, conclui o prefeito Eldon.

Cruzeiro do Oeste

O orçamento participativo em Cruzeiro do Oeste teve início em 2005, no primeiro mandato do prefeito Zeca Dirceu (PT). De acordo com Zeca, o primeiro ano não teve uma participação grande da população. “No início da implantação do OP não tivemos muito apoio da população, foi um problema cultural, no entanto insistimos e continuamos divulgando e a cada ano que passa o número de participantes aumenta”, salienta. Hoje o município já inova no projeto, possui orçamento participativo temático de jovens e idosos. Três benefícios são ressaltados em Cruzeiro do Oeste, as decisões são tomadas de acordo com as informações da comunidade, funciona como um termômetro para entender as prioridades da população e também é uma ferramenta política, pois líderes surgem no decorrer do processo.

Assessoria de Imprensa/PT Paraná

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*