Pedágio de R$ 2,21 serve de alerta à CLN

Arquivo
Arquivo

Ao ler nos jornais da última quinta-feira (22/01), o preço do pedágio a ser cobrado nos trechos baianos da BR-324 e BR-116, cujo leilão foi realizado quarta-feira (21/01), em São Paulo, estipulado em R$ 2,21, o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, ficou surpreso ao compará-lo com o valor praticado atualmente pela CLN (Concessionária Litoral Norte) na Estrada do Coco, de R$ 4,60 nos dias úteis e R$ 6,90 nos sábados, domingos e feriados, para automóvel de passeio. “É mais do que o dobro”, exclamou.

Para Luiz Caetano, a CLN deveria “cair na real” e, diante de uma conjuntura de crise financeira em nível internacional, reduzir o preço do pedágio cobrado na Estrada do Coco, igualando-o ao valor estipulado para as BRs 324 e 116. “É fundamental que todos colaborem, em um grande esforço nacional para ajudar o Brasil a superar esse momento de instabilidade”.

O leilão da privatização das rodovias federais BR-324 e BR-116 foi vencido por um grupo constituído pela empresa espanhola Isolux Corsan e pelas brasileiras Engevix e Encalso.

Para o prefeito de Camaçari, “os gestores públicos e privados precisam fazer adequações compatíveis à realidade do momento, marcada por turbulências nos mercados, instabilidade econômica e financeira, desemprego, incerteza e desconfiança”.

Rogaciano Medeiros – Ascom PMC

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*