Presidenta cumpre a primeira promessa de campanha

A presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciaram nesta quinta-feira (3) que a partir do dia 14 próximo, remédios contra hipertensão e diabetes serão oferecidos gratuitamente por meio do Programa Aqui Tem Farmácia Popular. Atualmente o governo federal cobria 90% do valor desses medicamentos e o restante era bancado pelo usuário.

Pelo programa, 15 mil farmácias conveniadas em todo o país passarão a oferecer os medicamentos a qualquer brasileiro, mediante a apresentação de documento com foto, CPF e receita médica. Os estabelecimentos também devem informar a relação dos produtos a serem oferecido a população.

Para o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), a distribuição gratuita de remédios para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, coloca o Brasil em situação distinta no mundo. "Ao conceder essa gratuidade o governo brasileiro garante a milhões de brasileiros uma melhor qualidade de vida. Essa medida também diferencia o Brasil de centenas de países que não garantem o acesso a nenhum medicamento", destacou.

O deputado Assis Carvalho (PT-PI), também elogiou a iniciativa do governo federal e defendeu maior participação da sociedade na melhoria dos serviços públicos de saúde. "A sociedade precisa reconhecer sua força nos conselhos de saúde para fazer garantir uma saúde de boa qualidade, de fácil acesso e grátis para todos", afirmou o parlamentar. Para ele, "é muito bom ter acesso ao remédio grátis mas, melhor mesmo é não precisar de remédio", disse, defendendo a saúde preventiva.

Segundo o Ministério da Saúde, 900 mil hipertensos e diabéticos inscritos no Programa Farmácia Popular devem ser beneficiados imediatamente com a medida. A gratuidades na aquisição desses medicamentos foi uma dos compromissos de campanha assumidos pela então candidata a presidência Dilma Rousseff.

O programa Farmácia Popular oferece fraldas geriátricas e 24 tipos de medicamentos, subsidiados em até 90%, para sete tipos de doenças: asma, rinite, mal de Parkinson, osteoporose, glaucoma, além de remédios para hipertensão e diabetes. Dados do Ministério de Saúde indicam que o programa beneficia 1,3 milhão de pessoas por mês.

 

PT na Câmara

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*