“Salvador não merece um governinho”

Assim como Ana Maria Gonçalves, moradora de Cajazeiras, milhares de pessoas dos diversos bairros da cidade que lotaram a Praça da Pronaica, ali permaneceram até o final da fala de Dilma, por volta das 21h. A assistente social Marleide Castro Santos, moradora da Pituba, fez o possível para chegar à tempo e também ficou até o fim. “Estou aqui para ver Dilma, ouvir o que ela vai falar e o que quer fazer, ver Nelson Pelegrino”, disse.

As duas eleitoras acompanharam atentas a presidenta Dilma, que chegou sorridente, ladeada pelo governador Jaques Wagner, por Pelegrino e sua vice, Olívia Santana. Ficou à vontade no palanque repleto de políticos, dentre os quais duas ministras, dois senadores, deputados, vereadores e os três candidatos a prefeito do primeiro turno, Mário Kertész, Márcio Marinho e Da Luz. Com o adesivo da estrela petista destacada numa informal bata branca, Dilma cumprimentou principalmente o público, distribuindo acenos e fazendo gestos carinhosos com as mãos para os eleitores que chamavam a sua atenção.

Dilma fez um discurso de alinhamento político, enfatizando a necessidade e as razões para eleger Pelegrino em Salvador e reforçar o seu time político. Aproveitou o clima da novela e comparou: “Tem gente que mente mais do que Carminha”, disse, lembrando que o candidato do DEM e sua turma são contra as cotas para negros e pobres nas universidades e costumam chamar o Bolsa Família de “Bolsa Esmola”: “Salvador não merece um governinho”.

 

FONTE: www.soupelegrino13.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*